português   |   english   |   español
Login:
  
Busca
 
Notícias

18 de Maio - Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

18/05/2015

Como signatária do Termo de Compromisso Corporativo para o Enfrentamento da Violência Sexual Infantojuvenil, em parceria com a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDHPR), FIRJAN, Petrobras e outras grandes empresas brasileiras, a Fábrica Carioca de Catalisadores S.A. tem o compromisso de alertar seus stakeholders para a importância de reforçarmos a rede nacional de proteção à infância.

Em 2015, durante as comemorações do Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes (18 de Maio), ampliaremos nosso foco, mobilizando o público interno, acionistas, clientes, parceiros e sociedade para a violência familiar contra as crianças, bem como as formas de denúncia de qualquer tipo de violência e exploração sexual infantojuvenil.

Atualmente, no Brasil, vivem mais de 60 milhões de crianças e adolescentes. Infelizmente, meninos e meninas são expostos diariamente à violência dentro e fora de suas casas. Mais de trezentos casos de violência são reportados todos os dias e a maioria das circunstâncias nem chega a ser denunciada. Cabe a todos nós mudar essa história!

Qualquer situação que coloque em risco o desenvolvimento pleno da criança ou do adolescente pode ser uma forma de violência, quer seja a punição física; violência psicológica; discriminação; tortura; negligência e abandono; trabalho infantil; tráfico de pessoas; abuso ou exploração sexual.

Alguns tipos de violência contra a criança e o adolescente ainda estão muito presentes na sociedade brasileira. Isto inclui abusos sexuais em casa; castigos corporais e humilhantes na escola; uso de restrições físicas no lar; brutalidade cometida pelas forças de ordem; abusos e negligência em instituições; guerra de gangs nas ruas onde as crianças brincam ou trabalham e infanticídios relacionados aos chamados “crimes de honra”.

De acordo com os especialistas, infelizmente, a violência infantojuvenil começa em casa. Um recente estudo analisou experiências de violência no dia a dia de crianças moradores de comunidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Recife e constatou que a violência contra meninos e meninas de 2 a 4 anos de idade é bastante intensa.

A criança que sofre violência entende que esta é uma opção legítima e vai usá-la quando tiver um conflito com colegas, por exemplo. Ao agredir, ela também pode sofrer agressão e se tornar vítima. Isso cresce de forma exponencial ao longo da vida. Conhecer e saber identificar as várias formas de violência é o primeiro passo para acabar com esse mal invisível.

Participe do movimento, multiplicando as informações divulgadas na homepage www.fccsa.com.br (banner “Proteja Brasil”, disponível durante o mês de maio) e/ou denunciando casos de abuso ou violência sexual contra menores de 18 anos pelos seguintes canais:

- Conselho Tutelar do seu município ou região

- Ligação anônima e gratuita para o Disque 100

- Utilização do aplicativo gratuito Proteja Brasil para celulares (www.protejabrasil.com.br)

- Ligação anônima internacional (55 61 3212-8400)

- Ministério Público do Estado

- E-mail da Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos (www.denunciar.org.br) para denúncias de crimes da internet

- Página da Secretaria de Direitos Humanos (www.disque100.gov.br) para pornografia

- Mensagem para o e-mail da Secretaria de direitos Humanos da Presidência da República

(disquedenuncia@sdh.gov.br)

- Delegacia ou Disque 190 (Polícia Militar) em caso de emergência

 

Sobre o 18 de maio

Em 18 de maio de 1973, um crime bárbaro chocou o Brasil. Com apenas oito anos, Araceli Cabrera Sanches foi sequestrada, drogada, espancada, estuprada e morta por membros de uma tradicional família capixaba. O caso ficou impune. Seu desfecho escandaloso tornou-se um símbolo. O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes foi instituído em 1998, quando instituições públicas e sociedade civil reuniram-se para um encontro nacional sobre o tema.

 

 

Sobre a FCC S.A.

A Fábrica Carioca de Catalisadores S.A. é uma empresa de tecnologia de ponta, sediada em Santa Cruz, Rio de Janeiro, formada pela associação das empresas Petrobras S.A. e Albemarle Corporation. Única fabricante de catalisadores de craqueamento catalítico e aditivos para o refino de petróleo no mercado sul-americano, tem como clientes consumidores as refinarias do Sistema Petrobras, bem como refinarias de petróleo de países da América do Sul e América Central. Nestes locais, utiliza a logística rodoviária, bem como de portos e navios para o envio de produtos em containers.

Para conhecer em detalhes os projetos socioambientais da empresa envie uma mensagem, clicando no link “Fale Conosco/Formulário de Contato” e selecionando o tema “Responsabilidade Social”.

A Fábrica Carioca de Catalisadores S.A., líder no mercado de catalisadores de FCC da América do Sul, é uma empresa que cria, produz e entrega soluções em catalisadores e aditivos para a indústria de refino de petróleo.

A Fábrica Carioca de Catalisadores S.A. reúne dois gigantes mundiais das áreas de petróleo e petroquímica: a Petrobras e a Albemarle Corporation.

@2016 Fábrica Carioca de Catalisadores - Todos os direitos reservados