português   |   english   |   español
Login:
  
Busca
 
Notícias

Nova Sociedade no Setor de Catálise (íntegra)

0/0/
por Daniela Lessa

  

Em decorrência da decisão da petroquímica holandesa Akzo Nobel de fortalecer seus negócios em outras áreas, a empresa decidiu descontinuar sua participação no setor de catalisadores no mundo. Os 50% das ações da Fábrica Carioca de Catalisadores (FCC S.A.) que pertenciam à empresa, agora pertencem à Albemarle Corporation. A indústria química norteamericana comprou todas as unidades da holandesa para ingressar no setor de catalisadores para refino de petróleo. Com isso, tornou-se sócia da Petrobras, que detém os outros 50% do controle do capital da FCC S.A..

A Albemarle fez investimentos da ordem de 625 milhões de euros para adquirir o controle do setor de catalisadores. Este novo negócio será levado a seus clientes que se concentram em mais de cem países – o mercado mundial de catalisadores para refino de petróleo gera uma receita anual superior a US$ 2 bilhões. Com a participação na FCC S.A., a norte-americana conquista o mercado sul-americano, que representa um volume de vendas de 33 mil toneladas por ano e faturamento de US$ 70 milhões. Só as refinarias brasileiras consomem 28 mil toneladas de catalisadores por ano. As 4 mil toneladas restantes são vendidas nos mercados argentino, uruguaio, colombiano, peruano e cubano.

Para a FCC, a mudança societária e o aumento de produção a permitem entrar no mercado venezuelano, com potencial de consumo de 7 mil toneladas por ano. “A Venezuela é o nosso novo desafio”, admite o gerente de operações da FCC S.A., Cid Carvalho. Antes, no acordo com a Akzo, a empresa brasileira estava restrita à participação no mercado sul-americano, exceto a Venezuela e incluído o mercado cubano, na América Central.

Para atender ao novo mercado, a empresa investe na ampliação da capacidade de produção. Os investimentos previstos para 2004 e 2005 são da ordem de US$ 40 milhões e o objetivo é chegar a produzir 45 mil toneladas de catalisadores por ano. “Na verdade, o investimento já está sendo feito, mas a grande parte será disponibilizada no final deste ano e durante todo o ano que vem”, informa Carvalho.

Juntas, Albemarle e FCC S.A. detêm a liderança mundial na participação no mercado de catalisadores para a indústria de refino de petróleo. Sozinha, a FCC S.A. é líder na América do Sul e está presente em todos os países onde há unidades de craqueamento catalítico com um excelente posicionamento de mercado. No momento, a empresa espera o resultado de uma licitação da Repsol na Argentina, para ampliar seu portifólio de clientes.

Os produtos formulados para processar resíduos mais pesados de hidrocarbonetos são o nicho de mercado da empresa, que compete com gigantes da indústria química como as norte-americanas Grace e Engelhard e as asiáticas Sinopec (chinesa) e CCIC (japonesa).

A alteração societária influenciou pouco o funcionamento da FCC S.A., que continua com a mesma estrutura e, principalmente, com as mesmas pessoas. Segundo o gerente de operações, o maior benefício da nova parceira será a integração das áreas de pesquisa tecnológica das duas empresas.

“A Albemarle é reconhecida no mundo por seu aporte à inovação tecnológica e é líder em todas as áreas da indústria química em que atua. Ela não tinha uma área de catalisadores para refino de petróleo, agora tem”, orgulha-se.

A FCC S.A. também é reconhecida por suas atividades de pesquisa, que são realizadas no Centro de Pesquisa da Petrobras (Cenpes), além de em outros dois centros nos Estados Unidos e na Holanda. Com a união da Petrobras e Albemarle, a FCC S.A. passa a ter, nestes países fábricas e escritórios técnicos e de representação, estendidos para Itália, Japão, Espanha e Cingapura.

 

Inovação

A nova tecnologia Topaz, de catalisadores de alta acessibilidade, que permite o processamento de moléculas complexas de carbono, será adotada pela FCC S.A. já no próximo ano. “Basicamente os novos catalisadores são estruturas cristalinas com espaços maiores para a passagem e quebra de uma molécula gigante, que antes não teria acesso ao catalisador”, explica o executivo, que ainda completa: “como a passagem inicial do catalisador é maior, a molécula grande é quebrada numa primeira fase e, depois, já reduzida, passa por espaços menores e vai sendo decomposta pouco a pouco”. A maior vantagem das novas tecnologias é a de permitir o processamento de maior volume de petróleo e de um petróleo mais pesado.

Além de catalisadores de alta acessibilidade, a FCC S.A. também produz uma série de aditivos com objetivos ambientais, como a linha Resolve, que tem a função de diminuir a concentração de um dos componentes mais poluentes na gasolina: o enxofre.

“A função do aditivo é alterar a capacidade do catalisador momentaneamente, permitindo que a refinaria controle quais os derivados de petróleo quer produzir em maior ou menor quantidade e também influenciar na qualidade destes derivados”, resume.

Quanto às fórmulaçoes criadas para atender às necessidades específicas de clientes, a empresa está em ritmo acelerado de mudanças: a cada 17 dias cria uma nova formulação de catalisadores.

No aspecto de gestão, a empresa também inovou e criou um serviço único de reposição automática de catalisadores, chamado Total Catalyst Management (TCM). Por meio deste serviço, a fábrica monitora o estoque da refinaria e envia novas cargas em função da necessidade do cliente, que por sua vez determina o volume mínimo e máximo de estoque que deseja.

À medida que este volume diminui, a FCC S.A. recebe um sinal através do sistema de controle que indica a necessidade de reposição. Uma nova carga é preparada e enviada ao cliente junto com toda a documentação. O cliente ainda pode monitorar toda a movimentação logística via internet. “Para o cliente, acaba sendo difícil mudar de fornecedor, porque sem este serviço ele precisa controlar o estoque, emitir pedidos e realizar uma série de operações logísticas, que hoje estamos fazendo”, destaca Cid Carvalho.

Paralelamente ao monitoramento do silo de catalisador virgem, a FCC S.A. também disponibiliza um serviço complementar de retirada e destinação do catalisador de equilíbrio (e-cat). O objetivo da empresa é garantir que os resíduos tenham destinações corretas do ponto de vista ambiental, como o reaproveitamento na indústria de construção civil. O catalisador de equilíbrio tem aplicação prática como componente para argamassas e cimento.

  

Seguindo a linha de inovações, o Pólo Industrial de Santa Cruz, onde está localizada a FCC S.A., também abrigará um parque tecnológico. O objetivo da FCC S.A. é atrair empresas incubadas e propiciar maior sinergia com instituições de ensino e pesquisa. Segundo Cid Carvalho, a FCC S.A. seria uma demandante de tecnologia, o que fortaleceria as instituições de pesquisa, as empresas incubadas e a própria FCC S.A.. “Já estamos em negociações com algumas universidades, sabemos que há linhas de pesquisa relacionadas com o nosso negócio e as instituições já sabem que somos mercado para algumas de suas idéias”, resume.

Além de transformar o Distrito Industrial de Santa Cruz no aspecto tecnológico, a FCC S.A. também atraiu empresas complementares criando o Pólo de Empresas Parceiras. Atualmente, as fornecedoras de matérias-primas já estão instaladas em Santa Cruz, assim como várias empresas de serviços de infra-estrutura, como transportes, restaurantes, papelarias, etc. As empresas parceiras representam a geração de mais empregos para a região e algumas delas surgiram da iniciativa empreendedora da comunidade local.

 

Responsabilidade social

O incentivo ao empreendedorismo e várias ações de responsabilidade social também fazem parte da filosofia da FCC S.A., assim como a preocupação com o desenvolvimento ambientalmente sustentável. A empresa possui os certificados OHSAS 18001, de segurança e saúde ocupacional, o ISO 14001, de meio ambiente, e o ISO 9001, referente à qualidade de produtos e de gestão.

Desde 2001, o horto florestal criado com o apoio da empresa já forneceu mais de 8 mil mudas e contribuiu com o reflorestamento de uma área de 60 mil m². A idéia é que o espaço venha a se transformar em uma nova alternativa de lazer para os moradores da região. Paralelamente ao reflorestamento, a empresa também promove a educação ambiental da comunidade.

Em 2003, a empresa começou um programa de apoio técnico aos agricultores locais, incentivando a produção orgânica diversificada. O resultado foi a criação de uma feira orgânica próxima à fábrica, que atende à comunidade e aos funcionários da empresa. “No dia da feira, os produtos são adquiridos em tempo recorde”, comenta Carvalho.

No aspecto educacional, a FCC S.A. ingressou no programa de elevação da escolaridade e irá iniciar o de inclusão digital. A empresa disponibiliza duas salas de aula, uma delas equipada com computadores, e oferece aulas para o ensino fundamental e médio, e informática para funcionários e para moradores da região.

Além dos projetos que funcionam na comunidade local, a empresa apóia outros em diversas áreas da cidade, como a criação de móveis de garrafa pet, na Mangueira.

 

Fábrica Carioca de Catalisadores S.A.
Departamento de Marketing

www.fccsa.com.br
fccsa@fccsa.com.br

A Fábrica Carioca de Catalisadores S.A., líder no mercado de catalisadores de FCC da América do Sul, é uma empresa que cria, produz e entrega soluções em catalisadores e aditivos para a indústria de refino de petróleo.

A Fábrica Carioca de Catalisadores S.A. reúne dois gigantes mundiais das áreas de petróleo e petroquímica: a Petrobras e a Albemarle Corporation.

@2016 Fábrica Carioca de Catalisadores - Todos os direitos reservados